‘Modelo de desenvolvimento focado em terreno atrai corrupção’

Declaração é do superintendente do Sebrae no DF, que vai realizar palestra de abertura do Seminário Brasília Cidadania, no dia 19/4.
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
IMG-20210416-WA0098

Declaração é do superintendente do Sebrae no DF, que vai realizar palestra de abertura do Seminário Brasília Cidadania, no dia 19/4

Cleomar Almeida, Coordenador de Publicações da FAP

O superintendente do Sebrae no Distrito Federal, Valdir Oliveira, avalia que o DF precisa repensar, de forma urgente, seu modelo de desenvolvimento, focado, exclusivamente, em terreno.

Confira o vídeo!

“Quando se faz modelo de desenvolvimento calcado em terrenos, atrai-se especulação [imobiliária] e corrupção”, alerta. “Não se pode mais se basear, única e exclusivamente, no terreno, no imóvel, como ativo de negócio”, asseverou.

Valdir Oliveira: “O Distrito Federal repensar, de forma urgente, seu modelo de desenvolvimento, focado, exclusivamente, em terreno”. Foto: Sebrae/DF

Oliveira, que também é ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (2017 e 2018), vai discutir, na segunda-feira (19/4), esse assunto, em palestra de abertura do Seminário Brasília Cidadania.

O evento será realizado na modalidade on-line, pela Fundação Astrojildo Pereira (FAP), das 19h às 21h, em parceria com a Zonal do Plano Piloto do Cidadania (veja mais detalhes do evento ao final desta reportagem).

De acordo com o superintendente, o DF precisa romper o modelo de desenvolvimento focado em terrenos e seus subsídios para alcançar um modelo mais amplo.

Risco de imobilização

 “Os modelos de negócio estão cada vez mais mobilizados e se preocupam com [risco de] imobilização de seu capital”, explica o representante do Sebrae.

O ex-secretário observa a tendência de superação de modelos retrógrados, como os focados em terrenos. “O modelo de negócios do mundo mudou, com a ideia da inovação, do mundo digital, da tecnologia. Você pode estar no DF e trabalhar no Vale do Silício, e vice-versa”, salienta.

Marcelo Aguiar: “O DF tem problemas até mesmo maiores que os das principais capitais brasileiras”. Foto: Divulgação.

Um dos organizadores do evento on-line da FAP, o ex-secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal (2017) e arquiteto Marcelo Aguiar avalia o debate como “de extrema importância para quem mora no DF”. “Aqui, há pessoas que produzem, tem seus negócios, trabalham em atividades produtivas”, diz.

“A discussão parte do princípio de que o Distrito Federal não é a ilha da fantasia, ao contrário do que muita gente pensa. O DF tem problemas até mesmo maiores que os das principais capitais brasileiras”, pondera.

Aguiar acentua, ainda, que, no Distrito Federal, “moram pessoas que não vivem única e exclusivamente da política”. Ele também foi secretário de educação do DF por duas vezes ( em 2010 e de 2013 a 2014).

Tarefa mundial

Presidente do Instituto Brasileiro de Cidades Humanas, Inteligente, Criativas e Sustentáveis, André Gomyde também participará do evento da FAP e observa que o debate sobre desenvolvimento das cidades “é uma tarefa que vem sendo fortalecida ao redor do mundo”.

André Gomyde: “Fazer essa discussão do ponto de vista do Distrito Federal, que é uma cidade-estado, é muito importante”. Foto: Divulgação

O assunto ganhou ainda mais relevância desde o Fórum Econômico de Davos, em 2018, ano em que o tema entrou na agenda das principais pautas do século 21. Por isso, de acordo com a organização, a FAP cumpre sua função ao debater mais um tema atual e de interesse público.

“Fazer essa discussão do ponto de vista do Distrito Federal, que é uma cidade-estado, é muito importante para que a gente encontre uma agenda de desenvolvimento que ajude o DF a se inserir mais rapidamente no contexto da nova agenda desta nova era”, ressalta o presidente.

Mediação

O debate terá mediação da subsecretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da Secretaria da Mulher do DF, Irina Storni. “É um evento de extrema importância para que a gente discuta os problemas da cidade, principalmente nesse momento de pandemia”, acentua ela.

Irina Storni: “É um evento de extrema importância para que a gente discuta os problemas da cidade, principalmente nesse momento de pandemia”. Foto: Divulgação

Irina, que também é ex-coordenadora-geral de Cidadania e Exercício de Direitos da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério dos Direitos Humanos, afirma que o país enfrenta grandes problemas de ordem econômica e tem um número muito grande de pessoas mortas por causa da Covid-19. “A gente também precisa falar disso”.

SERVIÇO

Seminário Brasília Cidadania
Palestra de abertura: O Desenvolvimento do DF
Data: 19/4/2021
Horário: das 19h às 21h

Palestrante: Valdir Oliveira, superintendente do Sebrae-DF e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (2017 e 2018);

Contraponto: André Gomyde, presidente do
Instituto Brasileiro de Cidades Humanas, Inteligente, Criativas e Sustentáveis.

Mediador: Irina Storni, subsecretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da Secretaria da Mulher do DF e ex-coordenadora-geral de Cidadania e Exercício de Direitos da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério dos Direitos Humanos.

Transmissão: portal e redes sociais da FAP (Youtube e Facebook)

Observação: os vídeos ficam disponíveis no acerto da entidade nas redes sociais e no portal.

Privacy Preference Center