A RAPS, ou Rede de Ação Política pela Sustentabilidade, do empresário Guilherme Leal, discute a crise brasileira e propõe o #ForaTemer

Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

A Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS), constituída em 2012 por iniciativa do empresário Guilherme Leal, fundador do Instituto Ethos, sócio da indústria de cosméticos Natura, um dos poucos brasileiros listados entre os bilionários mundiais no ranking da revista Forbes e candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva em 2010 pelo Partido Verde, debateu neste fim-de-semana a crise brasileira e pediu a saída do presidente Michel Temer do cargo, após as denúncias dos delatores da JBS na Operação Lava Jato.

O #ProgramaDiferente acompanhou o encontro no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, e conversou com o presidente do Conselho Diretor da RAPS, Guilherme Leal, e com o cientista político Carlos Melo, que tem mestrado e doutorado pela PUC-SP, é desde 1999 professor do Insper, colaborador da RAPS, do jornal O Estado de S. Paulo, colunista e blogueiro do UOL. O objetivo declarado da RAPS é “contribuir para o fortalecimento e o aperfeiçoamento da democracia e das instituições republicanas mediante o apoio à formação de lideranças políticas que colaborem com a transformação do Brasil em um país mais justo, próspero, solidário, democrático e sustentável”.

Após as eleições de 2010, o grupo de fundadores da RAPS (Guilherme Leal, Neca Setúbal, Oded Grajew, Ricardo Young e Marcos Vinicius de Campos, entre outros) entendeu que “esta transformação deveria ser travada na arena política, mediante a ação pluripartidária e com diferentes matizes ideológicos”.São Líderes RAPS, hoje, por exemplo, parlamentares como os deputados federais Alessandro Molon (REDE/RJ), Mendes Thame (PV/SP), Thiago Peixoto (PSD/GO), Otávio Leite (PSDB/RJ), Jean Wyllys (PSOL/RJ) e Mara Gabrilli (PSDB/SP), os senadores José Reguffe (sem partido/DF) e Randolfe Rodrigues (REDE/AP), além de políticos como os vereadores paulistanos José Police Neto (PSD), Janaína Lima (NOVO), Aline Cardoso (PSDB), e secretários da gestão do prefeito João Doria, como Gilberto Natalini (Verde e Meio Ambiente) e Alexandre Schneider (Educação).

Entre os valores declarados da Rede e assinados como compromissos mútuos pelos seus participantes, sejam eles classificados como Líderes RAPS, Jovens RAPS ou Empreendedores Cívicos, além da “amizade cívica”, estão: ética, transparência, independência, justiça, sustentabilidade, interdependência, responsabilidade social, coragem, apartidarismo e meritocracia. Veja mais informações sobre a RAPS aqui.

Privacy Preference Center