Ferrogrão: Entenda o que representa o projeto da ferrovia, alvo de disputas no STF

Advogado Melillo Dinis defende que obra vai gerar riscos incontornáveis aos povos originários
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Arte: João Rodrigues/FAP
Arte: João Rodrigues/FAP

João Rodrigues, da equipe da FAP

O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para 15 de junho o julgamento do projeto que prevê a construção da EF-170, a chamada Ferrogrão, ferrovia prevista para ligar o Mato Grosso e o Pará. São cerca de mil quilômetros que atravessam áreas protegidas, entre terras indígenas e unidades de conservação.

Na primeira quinzena de março de 2021, devido a questionamentos ambientais, o ministro do STF Alexandre de Moraes decidiu suspender o trâmite da construção da ferrovia. O projeto visa ampliar e reduzir custos com o transporte de grãos como soja e milho, por exemplo, mas conta com críticas dos povos originários, ambientalistas e da comunidade internacional

Para analisar os riscos da obra, o podcast Rádio FAP desta semana conversa com o advogado e professor Melillo Dinis. Doutor em ciências jurídicas e sociais, pesquisador, especialista em Direito Público, ele é diretor do Instituto Brasileiro de Direito e Controle da Administração Pública e do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral.

O imbróglio jurídico que cerca o projeto, o custo de até R$ 40 bilhões para a obra e o modelo de retrocesso que a Ferrogrão pode representar na Amazônia estão entre temas do programa. O episódio conta com áudios do Jornal da Band, Jornal da Record, Canal Rural, TV Câmara, AgroMais e do canal Vida Rural MT.

O Rádio FAP é publicado semanalmente, às sextas-feiras, em diversas plataformas de streaming como Spotify, Youtube, Google PodcastsAnchorRadioPublic e Pocket Casts. O programa tem a produção e apresentação do jornalista João Rodrigues.

RÁDIO FAP

Privacy Preference Center