manifestação

Um brinde à maior manifestação da história

“Brindo a casa, brindo à vida, meus amores, minha família”. Parafraseando O Rappa, um brinde também ao povo brasileiro pela bela manifestação de ontem, que superou em número de pessoas o movimento das Diretas Já. Quem não merece um brinde é o governo petista, que “assalta” diariamente as casas, as vidas, os amores e as famílias brasileiras. Sem dúvida, o dia 13 de março de 2016 ficará para história.

O nome da música parafraseada é “Mar de Gente”, e foi isso que se viu pelas ruas do nosso país, um grande conglomerado de pessoas pedindo, principalmente, o impeachment da presidenta Dilma. Os movimentos sociais que começaram em 2013 ainda difusos, sem uma ideia definida, neste momento ganham o contorno principal: fora Dilma, fora PT. Se a Dilma sofrerá o impeachment, ou até mesmo renunciará, é uma interrogação, mas uma coisa é certa, está cada dia mais difícil a governabilidade petista. Se não for agora, em 2018 teremos renovação.

O Brasil carece de renovação politica. O povo brasileiro, como foi dito, está de parabéns por ocupar as ruas e avenidas, mostrando toda sua indignação. Entretanto, um fato é preocupante, a maioria sabe o que quer para o momento, tirar a Dilma do governo. Mas, e depois, o que o povo brasileiro espera de um novo governo? Pois, frases como “Devolva nossa pátria; Queremos um governo melhor e mais justo; Queremos mais empregos” são aclamações pertinentes e necessárias, mas são subjetivas. Devolva nossa pátria para quem? O que é um governo mais justo? Como aumentar os empregos?

Em uma manifestação politica dessas proporções, normalmente, as pessoas não irão debater pontos como esses. Eles virão a posteriori. Primeiramente a queda do governo Dilma, depois os próximos passos. Porém, ainda assim é preocupante a situação, pois a população mostra nas ruas um grande desconhecimento politico sobre questões essenciais. Governos de esquerda ainda são facilmente ligados ao PT, como se a esquerda fosse, exclusivamente, o PT. Há também, uma grande dose de americanismo nas manifestações, o já banalizado American Way Of Life volta à tona, como se fosse a solução de nossos problemas. Esses são apenas alguns exemplos.

O brasileiro precisa viver em um país onde possa brindar a casa, a família, a vida e seus amores. Esses são direitos básicos de todo ser humano para se ter uma vida digna. O brasileiro merece isso. Mas, acima de palavras de ordens também é necessário maior politização, só assim se poderá construir um Brasil mais justo.

Por: Germano Martiniano, Assessor de Comunicações da FAP e formado em Relações Internacionais pela UNESP/Franca.


Manifestação dia 13: Impeachment é luta cidadã

O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), conclama os brasileiros para a manifestação pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff marcada para o próximo domingo, dia 13 de dezembro, em todo Brasil.

Para ele, a aprovação do afastamento da presidente só se resolverá com a participação e a mobilização da cidadania.

Freire diz que o “Impeachment é luta cidadã” e que a manifestação fortalece o encaminhamento do processo no Congresso Nacional.

Por: Assessoria do PPS


Que País é Este?

O #ProgramaDiferente, da TVFAP.net, acompanhou a manifestação do dia 20 de agosto sob diferentes pontos de vista. Como todos sabem, essa passeata do Largo da Batata à Avenida Paulista foi convocada pelo PT, por movimentos sociais e organizações de esquerda como contraponto à manifestação do domingo, 16 de agosto, que pediu mais uma vez o #ForaDilma e o #ForaPT.

Veja na íntegra: Meia hora com o #ProgramaDiferente no ato de 20 de agosto

O militante de esquerda que pede o impeachment de Dilma

Porém, ocorre que no dia 20 de agosto também apareceu de tudo. Em tese, os manifestantes estavam ali para defender a presidente Dilma Roussef dos ataques da oposição. Porém, na prática, as críticas à política econômica do governo e ao ajuste fiscal aplicado pelo ministro Joaquim Levy foram tão intensas e contundentes que teve militante de esquerda defendendo até mesmo o impeachment da presidente.

Coxinhas da direita x Tortas de frango da esquerda
Curioso que, sob o olhar de alguém de fora, não vinculado nem aos protestos de domingo, nem aos de quinta-feira, contra e a favor do governo, respectivamente, as críticas de um lado e do outro se confundem.
Atos despolitizados, com gente que só vai para comer, beber, fazer selfies e se divertir. Esse é o ataque genérico que normalmente os petistas fazem às manifestações da oposição. Mas que também caberiam, ironicamente, a este ato do dia 20 de agosto.Não faltou comida (inclusive muita coxinha e torta de frango, churrasquinho e pipoca), além de bebidas alcoólicas, músicas, festa e gente fantasiada.
A crítica dos movimentos sociais à política econômica
Acompanhamos o movimento na visão dos movimentos sociais. Ouvimos a estudante Carina Vitral, presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes); Adi dos Santos Lima, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) do Estado de São Paulo; e Guilherme Boulos, coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).
Parte 3: Dia 20 de agosto sob o olhar dos movimento sociaisA opinião de políticos do PT e jornalistas progressistas
Por outro lado, buscamos conhecer a opinião sobre o ato de dois políticos tradicionais do PT, dirigentes partidários e com sucessivos mandatos parlamentares: Ítalo Cardoso e José Mentor.
Ouvimos também os jornalistas Bob Fernandes e Leonardo Sakamoto, ambos identificados com as ideias progressistas e de esquerda no Brasil e no mundo.

Parte 4: A manifestação de 20 de agosto na visão de petistas e jornalistas

O #ProgramaDiferente é exibido na TVAberta de São Paulo todos os domingos, às 21h30.Na internet, está disponível na TVFAP.net e em programadiferente.com na íntegra.