#ProgramaDiferente propõe diálogo construtivo e civilizado em vez de polarização burra e intolerante da política tradicional

Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

“Esquerda” x “direita”; “nós” x “eles”; “petralhas” x “tucanalhas”; “coxinhas” x “mortadelas”. Como escapar da armadilha do discurso reducionista, que divide o país ao meio, como se tudo se resumisse à briga entre os dois pólos mais tradicionais da política?

Como propor um diálogo construtivo e civilizado, que fuja desta polarização burra e intolerante, e mostre que a política não é um campo de batalha com exércitos armados de verdades absolutas, mas um desafio diário para o diálogo entre os opostos e à busca de consensos para o bem comum?

Como evitar cenas de insensatez e ignorância explícita, como a pancadaria entre militantes de um lado e de outro, ou episódios como os xingamentos à atriz Letícia Sabatella, registrados no fim-de-semana por diversas pessoas na rua e até por ela mesma em seu telefone celular?

“O Brasil precisa conversar” é o tema do debate que contou com a participação de Rodrigo Guima, artista social da Ben & Jerry´s; Pedro Kelson, da Associação Palas Athena; Carla Mayumi, ativista e pesquisadora de Educação; e Drica Guzzi, doutora em Comunicação e Semiótica; entre outros. Foi promovido pelo vereador Ricardo Young, da Rede Sustentabilidade, que é também candidato à Prefeitura de São Paulo.

Aliás, a menos de dois meses das eleições municipais, os candidatos a prefeito e a vereador já estão definidos pelos partidos em todo o Brasil. A Sabatina Folha/UOL/SBT com os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto em São Paulo mostra um pouco do que pensam Celso Russomanno (PRB), Marta Suplicy (PMDB), Luiza Erundina (PSOL), Fernando Haddad (PT) e João Doria (PSDB) sobre assuntos cotidianos. Assista.

Privacy Preference Center