Lula diz que vai usar a amarelinha para torcer na Copa: “A camiseta não é de partido político”

Há um movimento para resgatar o uniforme das garras da direita: vai dar certo?
Lula disse que vai usar a camisa da Seleção, não nessa, com o número 10, mas a 13 | Foto: reprodução/ Brasil de Fato
Lula disse que vai usar a camisa da Seleção, não nessa, com o número 10, mas a 13 | Foto: reprodução/ Brasil de Fato

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), declarou nesta quinta (10) que vai torcer pela seleção brasileira na Copa do Catar usando a camisa verde e amarela.

É sempre bom lembrar que o símbolo máximo do nosso futebol vem sendo usado há quase uma década por grupos políticos alinhados à direita, incluindo simpatizantes do presidente Bolsonaro e grupelhos golpistas inconformados com a eleição do petista.

“A Copa do Mundo começa daqui a pouco e a gente não tem que ter vergonha de vestir a camiseta verde e amarela. A camiseta não é de partido político, é do povo brasileiro. Vocês vão me ver usando a camiseta amarela, só que a minha terá o número 13”, escreveu Lula em seu Twitter.

O “sequestro” da amarelinha já havia afastado torcedores de esquerda desde a última Copa, na Rússia, em 2018. Na época a designer mineira Luísa dos Anjos Cardoso chegou a criar uma versão alternativa, vermelha,  para atender quem não queria ser confundido com os manifestantes que haviam apoiado o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. 

:: Quem são os (poucos) jogadores progressistas na lista de convocados de Tite para a Copa? ::

Mas a camisa foi comercializada por pouco tempo, já que a CBF, dona dos direito sobre a camisa, não gostou. 


A versão vermelhinha, proibida pela CBF, tem até foice e martelo / Reprodução Facebook

Atualmente, a própria CBF está procupada com o amor perdido de muita gente que criou ranço das cores. No início da semana, quando o técnico Tite anunciou os 26 convocados, foi lançada uma peça publicitária da entidade conclamando toda a torcida a esquecer da política e abraçar o símbolo, que até há pouco parecia ser do bolsonarismo. 

:: Política em Copa do Mundo? Na Seleção Brasileira só é ok se for de direita ::

Ao UOL, o atual presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, disse que o objetivo da campanha – veiculada em rede nacional – “é para mostrar que todos podem se sentir bem com a camisa da seleção”. Veja abaixo:

Mas será que vai dar certo? O fato de nosso maior craque, Neymar, ter dito que celebraria seu primeiro gol na Copa fazendo o sinal do “22”, para homenagear o candidato derrotado na eleição presidencial (vocês sabem quem) não ajudou muito a sarar as feridas.

No entanto, sabemos que, uma vez que a bola comece a rolar – daqui a só dez dias -, a paixão pelo esporte pode falar mais alto até mesmo que a paixão – ou o rancor – pela política. 

Selecionamos algumas reações sobre o tema:

Privacy Preference Center