De volta ao passado: 4 milhões de brasileiros retornam às classes D e E

Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
recessão-3

A cada dia que passa a crise econômica dá sinais de que não vai dar trégua em 2016: aumento das tarifas de transporte urbano, inflação de dois dígitos corroendo o poder de compra e derrubando a renda do trabalhador já no início do ano. É o resultado da política econômica de Dilma Rousseff causando um enorme retrocesso na vida dos brasileiros. Os erros e equívocos do governo do PT que trouxeram de volta recessão, inflação e desemprego mandaram para as classes D e E aproximadamente 4 milhões de pessoas, conforme estudo publicado pelo jornal Valor Econômico.

E a inflação sob descontrole só vai piorar a situação das pessoas que ficaram mais pobres no governo do PT. A carestia é mais cruel com as classes D e C porque a maior parte do rendimento das famílias é gasto com energia, transporte e alimentação, itens que fizeram a inflação calculada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) aumentar 10,67% em 2015, a maior taxa desde 2002, bem acima do teto de 6,5%.

Além de destruir a chamada classe C, o governo do PT acena com o aumento da taxa de juro, hoje em 14,25% ao ano, na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) para controlar a inflação, mas os especialistas alertam que esse remédio vai ser amargo porque trará mais desemprego aos trabalhadores.

“Para minimamente preservar os empregos, cuja taxa de desemprego acho que deve continuar aumentando em 2016, a convergência [da inflação] para o centro da meta [4,5%] deve ser deixada para 2017”, disse o economista José Luis Oreiro, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) ao Portal do PPS.

Fonte: PPS

Privacy Preference Center