Campanha em defesa de Lula parte para o ataque contra o juiz Sergio Moro, enquanto a Operação Lava Jato fecha o cerco contra o ex-presidente

Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Diz o provérbio português: “A melhor defesa é o ataque”. Pois foi exatamente isso que se viu na Casa de Portugal, no centro de São Paulo, durante o lançamento de uma nova campanha em defesa de Lula, que envolve a militância e os parlamentares petistas e de siglas satélites, entidades sindicais, movimentos sociais e personalidades do meio artístico na tentativa de contra-atacar as investidas da Operação Lava Jato, que vem apertando o cerco contra o ex-presidente.

Jogando em casa, com apoio da torcida, o time de Lula resolveu se defender apelando para essa máxima que virou clichê nos campos de futebol: partiram para o ataque, principalmente contra o juiz Sergio Moro, a imprensa e o Ministério Público. Curioso que Lula, useiro e vezeiro nas metáforas futebolísticas, tenha lançado esses chutões típicos da várzea justamente na noite em que a seleção de Tite daria um espetáculo contra a Argentina, pelas eliminatórias da Copa de 2018.

O azar do PT é que, num momento em que o noticiário dá conta da delação premiada da Odebrecht e de outras denúncias envolvendo diretamente os nomes de Lula e Dilma, não consegue falar para viva alma além dos já convertidos, um público cada vez mais limitado e que foi defenestrado do poder tanto com o impeachment quanto pelo voto popular nas eleições municipais.

Ao contrário do ataque brasileiro com Neymar e Gabriel Jesus, que marcou três gols na Argentina e poderia ter aplicado uma goleada histórica, a jogada de Lula é manjada e não tem nada dos esquemas táticos mais eficazes (em vez do 4-4-2, do 3-5-2 ou do 4-3-3, segue aplicando o velho 1-7-1-treze). Não é à toa que o PT cai pelas tabelas e certamente estará desfalcado do seu principal artilheiro em 2018.

Futebolês à parte, voltemos ao politiquês: o lançamento da campanha “Um Brasil justo pra todos e pra Lula”, marcada pelo ataque às instituições democráticas e republicanas exatamente sob o pretexto de defendê-las, foi um tremendo gol contra. O #ProgramaDiferente traz a cobertura do ato e a sua repercussão. Assista.

Privacy Preference Center