Voltar para a página principal do Portal da FAP
 

 
Procurar filme na FAP

Procurar profissionais na FAP

Procurar na web

Powered by Google

 

 

FILMES

Resultados da busca:

Foram encontrados 22 registros.
Mostrando de 1 a 10.

A Dívida da Vida (Rio de Janeiro-Brasil, 1992)
################


Avaeté, Semente da Vingança (Rio de Janeiro - Brasil, 1985)

Encenação de uma ocorrência verídica: o extermínio de uma tribo indígena comandado pelo empresário de uma firma agropecuária na região centro-oeste do País; o apoio de um cozinheiro arrependido a um menor sobrevivente do massacre e o desejo de revanche deste, mesclando seus anseios de vingança ao choque cultural por que passa em sua adolescência e juventude, sobretudo quando chega à metrópole São Paulo.


Baile Perfumado (Pernambuco - Brasil, 1996)

Cinebiografia do jovem mascate e fotógrafo libanês, Benjamin Abrahão, figura alegre, desinibida e cheia de lábia, homem de confiança e de "marketing" do Padre Cícero Romão Batista até o dia da morte do religioso, quando resolve partir de Juazeiro em busca de recursos para realizar seu velho sonho: filmar Lampião e seu bando. Para tanto, recorre a pessoas influentes, especialmente um coronel amigo do cangaceiro. Passa a fazer retratos das pessoas certas para conseguir as informações que o levam a Lampião. Começa a rodar seu filme e vai apresentando pouco a pouco as características do bando, que, às vezes, dança ao redor de uma rabeca, embriagado de uísque e banhado em loção francesa, ao som da canção Baile perfumado nas matas do sertão. Com tato, é revelado um Lampião vaidoso, bem-humorado e violento, porém menos mítico do que comumente é retratado.Terminadas as filmagens, Abrahão não consegue exibir o filme, proibido pelo governo de Getúlio Vargas, e se vê pressionado por credores até o dia em que é barbaramente assassinado. Baile Perfumado utiliza trechos do filme realizado por Abrahão com Lampião e seus cangaceiros na década de 30.


Barra 68 ( (Distrito Federal- Brasil, 2000)

Em três diferentes momentos - mas sempre no bojo da ditadura - a UnB (Universidade de Brasília) foi agredida com a invasão de seu campus por tropas militares. Primeiro, em 1964, logo após o golpe de estado, com forte repercussão em todo o país, e desencadeando acontecimentos que levariam à célebre diáspora de 1965, com a demissão voluntária de mais de 200 professores (entre outros Oscar Niemeyer, Athos Bulcão, Alfredo Ceschiatti, Paulo Emílio Salles Gomes), em protesto pelas perseguições de que eram vítimas. Recupera materiais filmados clandestinamente pelo então estudante Hermano Penna e investiga as memórias dos personagens da época. A crise surda que se seguiu emerge incontrolável em 68, com a explosão do movimento estudantil em relação ao assassinato de Édson Luís, no Rio de Janeiro, e inspirado depois pelos acontecimentos de maio, na França. A presença do francês Jean-Pierre Léaud (favorito de Godard e Truffaut) em debate na universidade, com o cineasta Cacá Diegues e dezenas de estudantes, assustou a ditadura militar, uma vez que o ator havia participado meses antes, em maio de 1968, das barricadas que marcaram o movimento por reformas na área de educação na França. Repetidos choques com a polícia dentro e fora da universidade deixaram em Brasília, um trágico saldo à Comunidade: um estudante morto e outro gravemente ferido à bala. O interregno só aconteceu com a promulgação do AI-5 que fechou o Congresso e instalou um regime de força, então sem disfarces. Quase dez anos depois, no limiar da abertura Geisel, Brasília assistiu impotente a mais uma ocupação da UnB por tropas desta vez solicitadas pelo próprio reitor, um capitão de mar-e-guerra. A firme resistência de professores e alunos marcaria para sempre a história da instituição com significativa repercussão na vida da cidade. Essa trajetória é resgatada através da urdidura de depoimentos, casos e histórias mesclados às raras imagens e sons que ficaram e perfazem, de uma época, uma memória imperfeita, mas sempre verdadeira.


Braços Cruzados, Máquinas Paradas (Título Inicial A História dos Ganha Pouco) (São Paulo - Brasil, 1979)
################


Cabra Marcado Para Morrer (Rio de Janeiro - Brasil, 1964)

História de um filme interrompido e dos que participaram dele como atores. O filme era uma narrativa semidocumental da vida de João Pedro Teixeira, líder camponês da Paraíba, assassinado em 1962. Interrompido em 64 e recomeçado 17 anos depois, o novo filme recolheu os depoimentos dos camponeses que trabalharam nas primeiras filmagens. A história das Ligas Camponesas de Galiléia e de Sapé e a vida de João Pedro através das palavras de sua viúva, Elizabeth Teixeira, que conta sua odisséia pessoal nesses 20 anos, assim como a de seus filhos, separados dela desde dezembro de 1964.


Cabra-Cega (São Paulo - Brasil, 2004)
################


Carandiru - Adaptação do livro Estação Carandiru de Dráuzio Varella (Argentina/Brasil, 2003)
################


Cidade de Deus - Inspirado no livro Homônimo de Paulo Lins (Rio de Janeiro - Brasil, 2002)

Buscapé é um jovem pobre e muito sensível, vive na Cidade de Deus, favela carioca, um dos locais mais perigosos do Rio de Janeiro. Amedrontado com a possibilidade de se tornar um bandido, Buscapé acaba salvo de seu destino por causa do seu talento para a fotografia, onde analiza através de sua câmera, o cotidiano violento de sua favela. O filme se passa em um único cenário: conjunto habitacional Cidade de Deus, zona oeste do Rio de Janeiro. A história é dividida em três partes:
A primeira parte é situada no fim dos anos 60, mostra os primeiros anos de existência desse conjunto habitacional, para onde se mudam duas crianças: Buscapé e Dadinho. O primeiro tem 11 anos e seu irmão, Marreco, forma com os amigos Cabeleira e Alicate um grupo de bandidos conhecido como Trio Ternura, cuja especialidade é assaltar caminhões de gás que fazem entrega no local. Dadinho acompanha o grupo e sonha ser como eles. Buscapé, não gosta de ter um irmão bandido: "E a maior furada, sempre acaba sobrando pra gente". Quer um futuro diferente pra sua vida.
A segunda parte se passa nos anos 70. Buscapé continua seus estudos e arruma um emprego num supermercado. Ainda assim, vive na tênue linha que divide a vida "de otário" e a vida no crime. Enquanto isso, Dadinho torna-se um pequeno líder de gangue com grandes ambições. Quer se tornar traficante. Acredita que "o negócio de Assalto tá por fora", em um dia toma quase todas as bocas de fumo de Cidade de Deus, começa a vender cocaína, e em pouco tempo, torna-se o bandido mais perigoso e temido do local. Recebe agora o apelido de Zé Pequeno, e expande seu negócios. "Se o tráfico fosse legal, Zé Pequeno seria o homem do ano", diz o personagem de Buscapé, que também é o narrador do filme.
A terceira parte, situada no cameço dos anos 80, mostra como Zé Pequeno se transforma em um dos traficantes mais poderosos do Rio de Janeiro, protegido por um exército armado de crianças e adolescentes entre 11 e 18 anos. Até que ele cruza o caminho de um trocador de ônibus conhecido como Mané Galinha. Depois de ver sua mulher ser estuprada, Mané Galinha decide se vingar de Zé Pequeno associando-se a outro traficante local, Sandro Cenoura. Estoura a guerra na Cidade de Deus. Nesse meio tempo, Buscapé que sempre sonhou ser fotógrafo, consegue sua primeira máquina profissional. Registrar essa guerra será a grande chance de sua vida.


Como Nascem os Anjos (Rio de Janeiro - Brasil, 1996)

Favela do Morro Santa Marta, zona sul do Rio de Janeiro. Maguila, elemento bronco e submisso, mata sem querer o chefe do tráfico do morro, Camarão, e se vê obrigado a fugir, levando junto sua "mulher" Branquinha, uma menina de 13 anos. Durante a fuga, na descida do morro, os dois são flagrados pelos "soldados" do tráfico, que partem em seu encalço. Branquinha encontra Japa, fiel amigo, que está a caminho a escola. Em meio à confusão, o menino tenta convencê-la a não seguir o companheiro. Mas a perseguição dos traficantes não lhes deixa escolha e os três acabam seqüestrando o carro de uma mulher que leva os filhos para o colégio. Nervoso, à certa altura Maguila pede para descer do carro, para urinar. Sem ter para onde ir, as crianças seguem-no, quando, inesperadamente, se deparam com a porta da garagem de uma casa se abrindo. No interior, encontram com William, cidadão americano residente no Brasil, preparando-se para sair de carro. Maguila pede-lhe para ir ao banheiro: não quer urinar na rua "como um cachorro". O americano reluta em atender seu desejo. Maguila, Branquinha e Japa passam a viver, ao lado de William, sua filha Ulie e a empregada Conceição, uma aventura imprevisível. Os personagens tornam-se reféns de uma situação estranha, em que nenhum deles sabe como se conduzir. As diferenças culturais se evidenciam e as emoções se chocam, se confundem e se transformam.


Próxima página Última página

Procurar por gênero
Ação
Animação
Animação/Documentário
Animação/Experimental
Aventura
Comédia
Comédia/Documental
Depoimento
Documentário
Documentário/Experimental
Documentario/Ficção
Documentário/Jornalístico
Documentário/Reportagem
Drama
Drama/policial
Fábula/Drama
Ficção
Ficção Científica
Ficção/Animação
Ficção/Comédia
Ficção/Drama
Histórico
Infantil
Policial
Romance
Suspense
Terror
 
Procurar por tema
A Educação e a Comunicação na Formação Cultural
A Justiça: As Leis e o Estado de Direito na Cidadania
A Migração e a Imigração - A Questão Político-Social e a Sobrevivência
A Natureza - A Ação do Homem e Seus Efeitos no Meio Ambiente
A Questão da Terra: Reforma Agrária, Invasões e Assentamentos
A Saúde: as Drogas e a Ciência - Leis e Responsabilidade Social
Arte
As Minorias e a Exclusão Social: o Idoso, o Índio, a Mulher, o Negro e os Portadores de Deficiências - Cinema Revela e Denuncia Trajetórias
Comportamento e Educação - Infância, Adolescência e Juventude: Visões e Versões da Sociedade e o Papel do Estado
Comportamento, Marginalidade e a Questão Psíquico-Social: Manicômio, Prisão e Prostituição
Economia, Trabalho, Sindicalismo e Luta de Classes na Hegemonia do Capital
Imprensa: Jornal, Rádio e Televisão - O Poder da Informação
Liberdade de Expressão: Religião e Intolerância
O Cinema, o Brasil e sua História: Colônia, Império e República - Que País é Este?
O Índio e sua saga: Da Colonização à Consciência Histórica da Cidadania
O Negro e a Escravidão: Suas Lutas e Conquistas
Peronalidades: Cinebiografia, Cultura, História e Memória
Política
Violência e Repressão: Contravenção, Delinqüência, Corrupção, Tráfico de Drogas e de Influências - As Leis e a Segurança na Ordem Pública